BLOG
Asma, Rinite e Exercício Físico


Asma, Rinite e Exercício Físico
2018/9/25 9:31:2 - Publicado por Desafio Fit

Se sofre de doenças como asma e rinite, não o impede de praticar uma atividade física com regularidade, basta adotar estratégias adequadas ao seu problema.
No caso da rinite alérgica
É uma doença alérgica inflamatória crónica e a manifestação mais habitual de alergia aos pólenes. Os sintomas incluem prurido, congestão e corrimento nasais, crises de espirros, tosse e irritação na garganta, conjuntivite alérgica (prurido ocular, lacrimejo, olho vermelho, edema das pálpebras).
Posso fazer exercício? Sim, não só pode como deve. «Os doentes com rinite alérgica sentem habitualmente que as suas queixas melhoram com a prática de exercício, o que se relaciona com diferenças de inervação das vias aéreas superiores e inferiores», fundamenta Mário Morais de Almeida.
No caso da asma
É a doença alérgica mais grave das vias aéreas e surge frequentemente associada à rinite. As alergias ao pólen, ácaros do pó, animais ou fungos são fatores de risco primordiais para o seu desenvolvimento e persistência, mas a sua ausência não exclui o diagnóstico de asma.
Posso fazer exercício? Sim, se adotar os cuidados necessários. «A prática de exercício favorece o controlo da doença asmática pelo condicionamento físico que provoca, nomeadamente muscular, pela prevenção da obesidade ou excesso de peso e pelo progressivo aumento da tolerância ao esforço e da autoconfiança».

Pratique exercício físico em segurança
Os oito cuidados essenciais que deve seguir:
1. Peça aconselhamento médico especializado. Em alguns casos, a prática de exercício deve ser precedida da inalação de fármacos para controlar e prevenir queixas.
2. Informe o seu PT, Instrutor, treinador, professor ou colegas sobre a sua situação clínica.
3. Respire pelo nariz. Assim o ar aquecerá e ficará mais húmido.
4. Evite treinar em ambientes frios e secos ou em contacto com elementos irritantes (poluição e tabaco, entre outros).
5. Cerca de 30 minutos antes de um exercício prolongado faça vários sprints (corridas rápidas) de 30 segundos, com intervalos de dois minutos. Como alternativa ou em associação, aqueça continuamente durante 15 minutos, no máximo a 100 a 120 batimentos cardíacos/ minuto.
6. Tenha sempre consigo a medicação de alívio indicada pelo médico. Nomeadamente, um broncodilatador de ação rápida para uso inalatório.
7. Não faça exercício se a sua doença alérgica não está controlada (por exemplo, após uma infeção respiratória ou se não estiver a cumprir a medicação preventiva) ou se tiver sintomas significativos durante o treino.
8. Consulte o boletim policlínico acedendo ao sitewww.spaic.pt para saber quais os períodos de maior concentração de pólenes no ar e escolha a melhor altura ou local para treinar.

 

DT Marco Oliveira